A procrastinação pode estar bagunçando com suas finanças - Café com Finanças

Quantas vezes você deixou as contas para a última hora nesse mês? Quantas vezes já postergou organizar as contas num balanço mensal? Procrastinar pode estar bagunçando com as suas finanças.

Deixar para a última hora não é algo cultural do Brasileiro apenas, é uma realidade humana e, nem sempre a procrastinação é algo ruim. Na verdade pode ser bem o contrário.

A procrastinação pode enviar sinais que parecem uma coisa, mas na realidade são outra.

Parece que você é um super humano que consegue realizar qualquer coisa em um curto espaço de tempo, adrenalina pura, uau, você é o máximo e matou 10 tarefas numa noite… só que não. Provavelmente deixou metade das coisas importantes para resolver um par de coisas urgentes.

Outro ponto de vista interessante que vi nessa matéria do Psicology Today noutro dia, é que a procrastinação pode parecer um mal, mas na verdade é algo bom: um alerta de que você tem coisas importantes para fazer.

Talvez não seja uma tarefa agradável, mas pode ser importante. Sempre que temos uma atividade pouco agradável a fazer isso nos tira da zona de conforto, não nos desafia tanto para a diversão e, logo, nós acabamos deixando para depois… depois… depois…

Ou seja, organizar as suas finanças mensais, algo de extrema importância e que poderia te ajudar a poupar, fazer aquela viagem legal ou até se livrar das dívidas se torna um suplício cujo procrastinaremos até o momento em que não pudermos mais.

Como parar de procrastinar financeiramente?

Aqui vão algumas idéias iniciais que podem te ajudar a diminuir a influência da procrastinação na sua vida financeira:

1- A primeira coisa é: comece simples nos pequenos atos.

Ou seja, você pode muito bem colocar contas recorrentes em débito automático. Você pode também anotar – na hora – os gastos que tiver utilizando um aplicativo de controle financeiro. Eu, por exemplo, uso o Organizze.

Confesso: não é fácil no começo. Você pode esquecer, se perder, se bagunçar, mas chega uma hora que entra no ritmo, aí flui naturalmente.

Dessa forma você consegue manter o controle organizado em um lugar e sem precisar de 300 papeizinhos de máquina de cartão para anotar tudo em um dia só.

2- Dê alguma coisa em troca de seu esforço à você mesmo.

Crie um clima legal para tratar de finanças em casa (dica do amigo Renato!). Vinhos, comidinha gostosa, música boa e foco nos números. Planejar o futuro financeiro e o presente do dinheiro não precisa ser chato.

Você pode também se recompensar por não procrastinar, ou seja, só vá comer aquele Cheesecake gostoso com café depois que conseguir passar as contas à limpo. Só saia com os amigos para o bar quando terminar o balanço do mês. Compre aquela roupa legal quando conseguir atingir a meta de poupança financeira para investimento que tanto se esforçou.

É simples assim: se esforce e se recompense.

3 – Entenda as “punições” por procrastinar.

Qual é a taxa de juros cobrada pelo seu cartão de crédito ou pelo seu cheque especial? Você tem idéia? Agora pense naquela conta que você paga esse juros em forma de multa por atraso… pensou?

Se não tivesse procrastinado o pagamento das contas, o planejamento dos pagamentos e etc… talvez tivesse uma graninha extra para a pizza esse mês, né?

4- A pressa é inimiga da perfeição… e do seu bolso.

E as compras? Comprou presente de última hora no final do ano passado? Pagou mais caro né?

Comprou sunga para o verão já no meio de dezembro? Mais caro também…

E o quanto gasta a mais de combustível quando tem que acelerar horrores no transito por estar atrasado? Além de perigoso para sua vida e das outras pessoas no trânsito, ainda ferra seu bolso na hora de abastecer com ouro, digo, combustível o seu carro.

___

Utilize a procrastinação e o planejamento ao seu favor e quem sabe, além das metas financeiras estarem em dia ainda terá um dia-a-dia mais equilibrado e menos estressante com o controle das suas finanças em ordem.

Grande abraço, amigos!