Nunca fui um leitor assíduo. Sempre corri da leitura, apesar de saber muito bem os benefícios que esta prática nos proporciona. No fim de 2015, ano que me formei engenheiro, percebi que após anos de estudos, eu tinha conhecimento técnico e nada mais. Sem leituras: nada, nadinha. Um “recorde” ridículo de um livro e meio a cada 2 anos.

Empolgado com a formatura e querendo começar um novo mindset, eu fiz uma  promessa de fim de ano: ler por 30 minutos diariamente, não importando se fossem livros, artigos, revistas ou até audiolivros. E foi aí que muita coisa mudou.

A promessa de fim de ano se tornou hábito em minha vida. Algo que, além de muito aprendizado, está trazendo resultados reais para mim.

Os livros têm o poder mágico de te colocar em contato direto com o pensamento do autor, com o que ele tem para passar das experiências de vida e visão de vida dele.

No livro não existe classe social. Não existe qualquer barreira mental: é o autor falando com você, mostrando o que ele vê, o que ele aprendeu e o que tem a ensinar. E isso é sensacional!

Durante o ano que se passou, conheci histórias incríveis, conheci autores, aprendi a cuidar melhor do meu dinheiro, do meu tempo, da minha saúde.

Produtividade, finanças e empreendedorismo foram basicamente os temas que investi neste último ano.

Li e-books, livros, audiobooks… e minha vida mudou!

Se você quer fazer o mesmo, existem diversas maneiras (mesmo para as pessoas sem tempo) para a prática deste hábito.

Você pode ouvir audiobooks no carro, durante a atividade física ou reservar pequenos momentos de leitura durante o dia. Como eu, apenas trinta minutos por dia, antes de dormir.

De todas, a maior dica que dou é: COMECE.

Vai ter dia que você não vai ler, vai ter livro que você não vai gostar, você vai achar “desculpas” para não ler. Mas, assim como exercícios, dieta ou qualquer outro hábito,  PERSISTA, que você irá aprender muito!

E você? Tem este hábito? Quais livros recomenda?

O que acha de um artigo onde eu compartilho os livros que mais gostei no ano passado?

Até a próxima !