Dentre os vários paradigmas da vida, este talvez seja o que bate mais forte em nossa consciência; tão forte que a maioria das pessoas foge desesperadamente desse tema. Só que fugir, como em qualquer outra situação, não faz o problema desaparecer. Sim, amiguinho, você vai ficar velho, e eu imagino que você já tenha entendido que o governo não vai estar lá pra garantir a sua segurança financeira, não é? O único jeito é você mesmo cuidar dessa parte, e é mais simples que parece!

A matemática é simples e não mente, se você gasta tudo o que você ganha agora ou, como é muito comum, você gasta no cartão antes de ganhar, você não vai ter outra escolha senão trabalhar mais e por mais tempo. Sim, MATEMÁTICA! Não tem mistério, dinheiro não surge do nada, e se você quer ter algo pra colher no futuro, vai precisar plantar desde já. De novo, uma frase do tio Jim Rohn (ou do mentor dele, Earl Shoaf) pra arrematar, “se você não plantou na primavera, não espere uma colheita”.

Contudo, começar a guardar dinheiro agora tem várias vantagens. Você pode se aposentar mais cedo, viajar mais, passar mais tempo com seus filhos, começar uma nova carreira com riscos bem menores. De novo, tudo parte das ESCOLHAS que você faz. O único jeito de garantir que o amanhã será do jeito que você deseja é pensar nele HOJE.

1 – Cuidado com o cartão de crédito

Eu costumo dizer que cartão de crédito é como uma serra elétrica, é uma ferramenta poderosíssima mas, se você se descuidar, ela pode te machucar feio. Mas isso não quer dizer que não seja uma ferramenta ótima, com cuidado, ele ajuda a colocar suas finanças em um modo muito mais fácil de acompanhar, faz você ganhar prazo para pagamento (e tempo é dinheiro) coloca suas despesas num único vencimento facilitando o “fluxo de caixa” e você ainda pode participar de programas de vantagens e milhas.

Agora, vença a tentação de comprar antes de ter o dinheiro! O jeito certo de usar qualquer crédito é para não se descapitalizar e poder usufruir de vantagens de manter o dinheiro aplicado em compras parceladas “sem juros” (claro que tem juros, mas se não houver desconto a vista ganhe o prazo e aplique o dinheiro).

2 – Faça compras que te deixem com a sensação de “dinheiro bem gasto”

Aqui entra uma situação filosófica, porque essa é uma percepção pessoal. Como eu já disse em outros artigos, tem gente que acha que comprar um carro é o melhor investimento da vida dele, mesmo sendo um bem de alta depreciação e manutenção. Traduzindo: um bem que perde valor de revenda muito rápido (10 a 20% por ano) e ainda tem gastos com seguro, IPVA, troca de óleo, pneus, revisão etc.

Dinheiro bem gasto é aquele dinheiro que te deu prazer sem te desestruturar. Ou aquele dinheiro que te deu mais dinheiro (como quem compra um carro abaixo da tabela e revende com lucro – veja o mesmo produto numa situação diferente!), ou aquele dinheiro que te deu mais tempo!

Devemos sempre analisar a relação de “custo x benefício”, e o custo nem sempre é financeiro. O mesmo serve para os benefícios É No fim, é fundamental ter clareza nessa análise. Se você comprou e não se arrependeu depois, nem teve que inventar uma historinha pra justificar a compra, aí sim, foi uma boa compra!

Uma boa dica é sempre esperar uns dias antes de comprar algo. Espere chegar em casa, pesquise na internet se o preço é aquele mesmo ou se existe mais barato, amadureça a ideia e veja que, grande parte das vezes era apenas impulso e você não precisava fazer aquela despesa naquele momento!

3 – Coloque o dinheiro pra trabalhar

Se você colocar seu financeiro pra rodar de maneira equilibrada, controlar seu cartão de crédito e só fazer despesas realmente necessárias, vai começar a sobrar dinheiro. Hora de colocar ele pra trabalhar!

Procure informação na internet (como na nossa página no facebook!), pergunte a um amigo mais informado do assunto, pergunte até pro seu gerente de banco (mas confirme tudo que ele te recomendar – gerente de banco não é consultor, é vendedor!).

Quanto mais você colocar seu dinheiro pra trabalhar, menos VOCÊ terá que trabalhar. Esse conceito é chamado de RENDA PASSIVA. E pode ser de várias formas, um imóvel pra alugar, uma aplicação no Tesouro Direto, ações na bolsa, debêntures, muita coisa mesmo. O importante é a idéia de fazer esse dinheiro te gerar mais dinheiro. E não ter pressa. O caminho da saúde financeira é DISCIPLINA e TEMPO.

E não precisa ter vergonha de começar pequeno. Comece com qualquer valor, sinalize para o universo que você é uma pessoa que sabe gerenciar seu dinheiro, mesmo que sejam poucos reais por mês, o importante é o HÁBITO. Seja forte!

Que a força esteja com você!